quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PARTIDARIZAÇÃO DOS "AGRUPAMENTOS"

Contra “a partidarização” dos Agrupamentos dos Centros de Saúde (ACS) que vão entrar em funcionamento em Janeiro do próximo ano, a Federação Nacional dos Médicos (FNAM), denunciou hoje a existência de “pressões externas” e de “tráfico de influências” na escolha dos futuros directores executivos destes serviços de saúde.
Em comunicado, a FNAM pede explicações quanto ao “perfil, experiência, nível de conhecimento, competências demonstradas e currículo exigido. Por outras palavras, que critérios fundamentam as escolhas”. “Parece que ninguém sabe ou pelo menos não revela, muito embora essa fundamentação seja uma exigência determinada através do Decreto-Lei 28/2008 que cria os ACES”, lê-se no comunicado, no qual a Federação dos Médicos alerta para a “importância e delicadeza do actual momento no quadro da Reforma dos Cuidados de Saúde Primários”.
Até fica mal, então a FNAM acordou hoje? Mas há algum Presidente do Conselho de Administração, algum Director Clínico, algum Director de Enfermagem, algum Director de Serviço dos nossos hospitais e centros de saúde que não sejam nomeados por cartão partidário? Já cantava o Zeca, eles comem tudo e não deixam nada! Se o PS e o “Engenheiro” Sócrates são a esquerda, nem quero pensar o que será a direita.

1 comentários:

alfa disse...

O PS tornou-se numa espécie de União Nacional, o partido único de antes do 25 de Abril.
E aquilo não é um cartão! É uma gazua...

Related Posts with Thumbnails